quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Crítica sobre: O Fantasma de Canterville {Livro}

"Todo homem mata aquilo que ama, 
e cada um que escute bem:
alguns o fazem com um olhar amargo
outros com uma palavra de elogio
o covarde o faz com um beijo
e o homem valente com uma espada."(Pag 11)




Um fantasma que é atormentado por seres humanos?

Na Primavera de 1890, o diplomata americano Hiram B. Otis chega à Inglaterra e decide comprar o Castelo de Canterville, nos arredores de Ascott. Fora advertido de que cometia uma loucura, porque na habitação apareciam nada menos que, almas do outro mundo. 
O próprio Lord Canterville, o honesto proprietário do castelo, pertencente à sua família há várias gerações, adverte o comprador; o lugar está assombrado. É difícil conciliar o sono, à noite, por causa dos estranhos ruídos, vindos do corredor e da biblioteca. Porém, o diplomata não acredita em fantasmas e sua mulher acha que dá uma certa originalidade aos jantares que organiza. Os gêmeos se divertem em pregar peças ao fantasma residente que deixa de assustar para passar a ser assustado. 
No entanto, quando uma família americana compra o castelo, tudo se altera: o fantasma perde o seu poder. O velho fantasma de Canterville tem 300 anos e não sabe o que fazer da vida. O seu trabalho é aterrorizar pessoas, mas os americanos que acabam de se instalar no castelo não se assustam com nada. O pior mesmo é quando as crianças começam a caçá-lo... 
Só a filha adolescente, bela e meiga, compreende a sua imensa tristeza, a extensão de seu sofrimento. Ela resolve ajudá-lo a se desprender para a conquista da paz! 

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhh eu amei e ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!

A quebra de mitos se faz presentes. É possível perceber como somos eternos mutantes e de como esse correr louco do tempo é a resposta “quase” que absoluta de nossas perguntas, claro que não notamos essa singularidade a olho nu. Também nos deparamos com os significados de nossas vidas. As coisas as quais devemos valorizar. As pequenezas da vida que estão expostas ao nosso redor e que nós, muitas vezes, tão apressados, nos esquecemos de captar. 

Oscar Wilde nos brinda com seu humor ácido e refinado e expõe a sua maneira uma crítica velada a sociedade da sua época. Afinal quem são os verdadeiros fantasmas da vida? O que dizem essas crenças/valores que estão enraizados dentro de nós e que lutamos tanto em não abandoná-los? O que são medos? O medo existe ou tudo é fruto de nossas crenças? 

Estamos jogados num imenso teatro, somos uma imensa colcha de retalhos que nunca consegue definição plena. Assim o texto faz fluir crescimento, entendimento, modificações, profundidade... 

Foi meu primeiro contato com a obra do autor, e de cara gostei e recomendo é claro! Sobre o trabalho da editora no livro está impecável, a capa está linda as ilustrações do livro estão muito bem feitas, a diagramação, as folhas amarelas os detalhes de cada novo capitulo com uma caveirinha deixa o livro lindo.


Quantas patinhas a livro mereceu:


Livro: O Fantasma de Canterville
Autor: Oscar Wilde
Editora: Casa Da Palavra
Páginas: 96

Sinopse: Oscar Wilde narra-nos a história de um atormentado fantasma que há mais de trezentos anos habita no castelo dos Canterville, aterrorizando sucessivas gerações.
No entanto, quando uma família americana compra o castelo, tudo se altera: o fantasma perde o seu poder, mas acaba por encontrar o repouso eterno graças à coragem e à bondade da jovem Virgínia Otis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Olá leitores.
Que bom que gostaram do Post! Quer compartilhar a sua opinião?.

↺Comentários ofensivos, que agridam a mim ou a qualquer outra pessoa ou entidade (autor, seguidor, editora) também será deletado.

↺Agradeço seu comentário! Sua opinião é de extrema importância para o blog e para mim. (Pode ter certeza que, responderei o seu comentário assim que possível.) Volte Sempre!



Importante!! Pessoal, caso encontrem links com defeitos, avisem por comentário ou pelo e-mail: angelicapinheiropereira@gmail.com, para que possamos arruma-los.