quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Entrevista Esritores: Allan Pitz

Nome: Allan Pitz
Cidade/Estado:
Rio de Janeiro - RJ

Um livro:
O Capitão saiu para o almoço e os marinheiros tomaram conta do navio (Charles Bukowski)
Um autor:
Charles Bukowski e Carlos Drummond
Uma música:
Who can it be now (Men At Work)
Uma banda:
Simple Minds – Men At Work – Echo and the Bunnymen Um filme: Cães de Aluguel – Beleza Americana
Um ator:
Kevin Spacey
Uma atriz:
Fernanda Montenegro

Defeito:
Teimosia; e anti socialismo, às vezes.
Qualidade:
Sede de aprender sempre mais, colaborar com o mundo de alguma forma.
Uma frase:
Essa palavras que escrevo me protegem da completa loucura! - Bukowski

Mini Biografia: Allan Pitz, o PhD em Patavina, é um escritor brasileiro nascido na cidade do Rio de Janeiro no ano de 1983. É visto por muitos como um dos escritores mais talentosos do atual panorama brasileiro. Publicado em 36 coletâneas e prêmios literários, autor de 6 livros.

LIVROS ESCRITOS: A Morte do Cozinheiro (romance) 
Um Peixe de Calças Jeans (infantil ) 
Estação Jugular – Uma Estrada para Van Gogh (romance) 
Duas Doses e Um Bungee Jump (poemas) 
Visões comuns de um porco esquartejado (poemas) 
A Fuga das Amebas Selvagens (contos, poemas, crônicas, cenas teatrais, piadas)

Um Pouco mais Sobre "Allan Pitz"


1. Quando e como você resolveu que queria se tornar escritor? Você teve o apoio de alguém em especial?
 Allan Pitz: Eu sempre escrevi bastante. Mas querer viver de letras e escrever sem parar foi uma decisão muito difícil e recente (seis anos). Antes, eu escrevia alguns textos de teatro, depois alguns contos, poemas... Fui participando de prêmios e ganhando; senti confiança e as publicações foram saindo. Deixei muita coisa de lado para me dedicar aos livros, meus amigos não entenderam (principalmente por eu não querer mais aceitar papéis em teatro). As pessoas mais próximas acreditaram que eu estava louco de vez... Eu mesmo tenho dúvidas.

2. Como surgiu a ideia de escrever um livro?

 Allan Pitz:Da necessidade de contar histórias, ver além, mergulhar em outros lugares desconhecidos.

3. Como foi o processo de pesquisa para a criação do livro?Ao começar a escrever, você se inspira em alguma obra, filme ou pessoa?

 Allan Pitz:Às vezes eu simplesmente olho para a tela e começo a escrever. As coisas vão fluindo e encaixando fatores do meu conhecimento com elementos imaginários. Mas para escrever o peixinho jeans eu estudei bastante.

4. Sabemos que no Brasil é um pouco complicado lançar um livro. Como foi esse processo pra você? Quais etapas seguiu? O que você sentiu ao ver seu livro impresso?

 Allan Pitz:Os primeiros livros eu tive que pagar para publicar. Pedi ajuda de parentes, conhecidos, antigo patrão. Depois um editor me deu oportunidade, outro também, e as coisas começaram a caminhar melhor. Não é fácil, nada fácil, mas a verdade literária no Brasil é que qualquer um pode ser escritor e lançar livros, basta possuir uns 5000,00 reais de investimento. É mais difícil para quem não é abastado. Literatura atual é de classe média pra cima. Se o autor for cercado de amigos virtuais e essas coisas todas, já garante mais sucesso que eu.

5. Se você conseguiu ter seu livro publicado. Como foi ver o primeiro exemplar impresso, saber que ele iria chegar ao público?

 Allan Pitz:Frio na barriga. A verdade é que eu escrevia para mim. Foi estranho emprestar o que é só meu para os outros. Muito estranho.

6. Você acredita que os brasileiros estão se interessando mais por nossos novos autores, ou que ainda existe certo preconceito literário por parte do leitor?

 Allan Pitz:Sei lá... Acho que ainda rola um forte preconceito, sim. Sem contar a velha questão de exigirem literatura burocrática, quase jornalística em detalhes; quatro anos em mil páginas. Acho que vou vender cachorro quente no maracanã, em breve. Rs. Faz parte.

7. Para você, qual a importância da literatura e do hábito de ler?

 Allan Pitz:A mesma importância dos programas básicos para um computador. Os livros enchem nosso cérebro de informações, como os programas fazem na memória vazia de um computador.
Precisamos ler e estudar as coisas todas, nós estamos neste planeta apenas para entendê-lo.

8.Conte pra gente um pouquinho dos seus planos futuros na área literária.

 Allan Pitz:Não tenho grandes planos, meu plano é permanecer de pé, estudar e escrever sem parar. Deixar uma obra literária bem ’rica’ para meus irmãos de planeta que ainda nem nasceram, só isso.

9. Você está trabalhando em algum novo projeto no momento? Se sim, conte um pouquinho sobre ele.

 Allan Pitz:Terminei a Ilha do Sol (aventura fantástica) em parceria com a escritora Liana Cupini. É um trabalho totalmente novo, espero que os leitores apreciem.

Um breve bate-papo:

Quando escrevo:
Sempre. Entro no meu mundinho e vivo em outras peles. Mas prefiro escrever nas madrugadas.
O que me inspira:
Vivemos numa pedra que flutua na imensidão universal desconhecida; tudo neste planeta é interessante. A curiosidade pela vida me inspira.
No meu tempo livre:
leitura, pesca esportiva, cinema.
Não saio de casa sem:
óculos de leitura e chicletes.
Estou lendo:
Terminal, de Robin Cook
Meu livro de cabeceira é:
O Poder do Subconsciente (Dr. Joseph Murphy) e O Óbvio que Ignoramos (Jacob Pétry).
Sou fã de:
inteligência e simpatia
Não gosto de:
inveja e pré julgamento
Meu maior sonho é:
conhecer o real sentido de igualdade e justiça.
Não viveria sem:
escrever
Estou a procura de:
me manter vivo e pensante
Um livro nacional que eu li e gostei:
Contos de Aprendiz (calos Drummond)
Meu personagem preferido é :
Henry Chinaski
Quer deixar alguma mensagem aos leitores do blog?
Só quero agradecer. E pedir aos leitores que continuem prestigiando a nova literatura nacional. Abraços em todos!

CONTATOS DO AUTOR
@AllanPitz http://paquidermesculturais.blogspot.com

4 comentários:

  1. Muito boa a entrevista. Parabéns.
    É uma pena que no Brasil é tão dificil de se publicar um livro.Perdemos talentos não lidos todos os dias por isso.
    Paty

    Abajur de Papel

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o comentário da Patricia. Se não me engano essa é a ultima entrevista de 2011, e feichou com uma bela entrevista, gostei muito! Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Angel!
    Adorei a entrevista, muito bacana conhecer mais sobre o Allan!

    Beijos, Kamila
    http://vicio-de-leitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. ✔Patricia: Obriagada, e sim é triste ver que perdemos bons autores por causa desse dificuldade para publicação e dos leitores que ainda têm preconceito em relação!

    ✔Anelise: Obrigada =DD

    ✔Kamila: Minha Linda que bom que gostou da entrevista =D

    Obrigada Pelos Comentários!
    BeIjoKiNhAs ٩(●̮̮̃•̃)۶

    ResponderExcluir


Olá leitores.
Que bom que gostaram do Post! Quer compartilhar a sua opinião?.

↺Comentários ofensivos, que agridam a mim ou a qualquer outra pessoa ou entidade (autor, seguidor, editora) também será deletado.

↺Agradeço seu comentário! Sua opinião é de extrema importância para o blog e para mim. (Pode ter certeza que, responderei o seu comentário assim que possível.) Volte Sempre!



Importante!! Pessoal, caso encontrem links com defeitos, avisem por comentário ou pelo e-mail: angelicapinheiropereira@gmail.com, para que possamos arruma-los.