quarta-feira, 11 de julho de 2012

Entrevista Escritores: Adriana Vargas Aguiar


Nome: Adriana Vargas Aguiar 
Cidade/Estado: Campo Grande - MS 

Um livro: Carmela e Lorenzo 
Um autor: Rubens Conedera 

Uma música: Elephant Gun 
Uma banda: Beirut 

Um filme: Um amor para a vida toda 
Um ator: Wagner Moura 
Uma atriz: Glória Pires 

Defeito: geniosa 
Qualidade: sinceridade 

Uma frase: "O que se deseja é sempre mais valioso do que o que se alcança." 


Mini Biografia: Formada em Direito pela UCDB; residente em Campo Grande – MS. 

Adriana escreve desde os sete anos de idade. Teve participações com menções honrosas em diversos concursos literários. Coordenadora do Clube dos Novos Autores e Agente Literária da MODO Editora. Tem como meta, lutar pela ascensão literária no Brasil. 

LIVROS ESCRITOS: Autora das obras: O oitavo pecado, O voo da estirpe, O segredo de Eva, Até o amanhecer, Encontros de alma e Inocence. 

Um Pouco mais Sobre "Adriana" 

1. Quando e como você resolveu que queria se tornar escritor? Você teve o apoio de alguém em especial? 

R: Eu nasci assim. Antes de escrever, brincava de escrever, desenhando ou rabiscando coisas que passavam em minha mente. 

Quando passei a escrever meu primeiro livro, de maneira escondida, fui flagrada na sala de aula; a professora me viu distraída, escrevendo, e foi saber de que se tratava. Levei um susto e deixei cair no chão, todas as minhas folhas, que se espalharam pela sala de aula. A professora pegou, leu e olhou em meus olhos, me perguntando: “— quem escreveu isso?” Eu disse: “Eu.” Disse chorando e com medo dela revelar a minha mãe. Depois disso, a diretora da escola, me inscreveu num concurso, e ganhei em meu Estado. Representei o Regional, e ganhei. Depois o nacional, e ganhei. Assim, eu descobri a escrita. 

2. Como surgiu a ideia de escrever um livro? 

R: Eu tinha oito anos de idade. Sonhava com situações irreais e sentia a necessidade de passar para o papel. 

3. Como foi o processo de pesquisa para a criação do livro?Ao começar a escrever, você se inspira em alguma obra, filme ou pessoa? 

R: Não tenho um padrão de inspiração. Sempre fui uma pessoa fantasiosa; sempre vivi de modo quase surreal. O linear entre a realidade e imaginação em minha vida é algo tênue. Eu gosto de viver assim, esta sou eu. 

4. Sabemos que no Brasil é um pouco complicado lançar um livro. Como foi esse processo pra você? Quais as etapas seguiu? O que você sentiu ao ver seu livro impresso? 

R: Foi dolorido. Sentia-me solitária, sem saber se construiria meu sonho ou o destruía. A sensação de ter um sonho rejeitado é algo que não te deixa em paz; te persegue o dia todo; eu acordava durante as madrugadas para escrever e me perguntava – para quê? Para quem? Por quê? As editoras que consegui encontrar, queriam apenas o que eu tinha a oferecer. Escrevia vários textos, insatisfeita com esta situação, um deles – palhaço de mim, retrata bem isso: 

“...Quero gritar o meu grito como num canto vivo, sem ser polido, para que surja nas últimas notas, em faíscas de voz, a sinceridade no que quero dizer... Palhaço de mim... Que arde para sobreviver...Se eu não puder dizer; que eu ore... Se não pude orar, que eu apenas olhe, e consiga transmitir o que sinto, se não transmitir, que eu não desista de escrever...” 

5. Se você conseguiu ter seu livro publicado. Como foi ver o primeiro exemplar impresso, saber que ele iria chegar ao público? 

R: Foi recentemente, numa situação um pouco inusitada. Estava indo para a Odisseia Fantástica, quando tivemos nosso carro parado na estrada, lotado de livros dos autores. A polícia tinha recebido uma denuncia de um carro saído do Estado do MS, com drogas. Eles abriram todos os pacotes de livros, e a cada vez que faziam isso, meu coração doía, pois nem mesmo eu, ainda tinha visto meu livro, pois tínhamos acabado de buscar os livros da gráfica. O delegado me perguntou de quem eram os livros, e eu disse que aqueles que eles tinham acabado de abrir, eram meus, e chorei, não apenas pela situação, mas por saber que eu havia conseguido realizar meu sonho, e que nada no mundo iria tirar minha alegria em ver pela primeira vez, meu livro, no dia do meu lançamento. Acabou que eles pediram desculpas, dizendo que havia sido um engano, e ainda me pediu um livro autografado. 

6. Você acredita que os brasileiros estão se interessando mais por nossos novos autores, ou que ainda existe certo preconceito literário por parte do leitor? 

R: Estão se interessando mais, porém, existe certo preconceito sim, e na maioria das vezes, pelo difusor da literatura. Já vi entrevistas ridículas de editores esnobes e de alma vazia, falando mal de novos autores, apenas por precisar disso para poder se aparecer, e o pior, tendo um monte de gente em volta, batendo palmas nos comentários. Eu acho isso, simplesmente, o inútil desnecessário. 

7. Para você, qual a importância da literatura e do hábito de ler? 

R: A prática da leitura se faz presente desde o momento em que começamos a "compreender" o mundo à nossa volta. No constante desejo de decifrar e interpretar o sentido das coisas que nos cercam, de perceber o mundo sob diversas perspectivas, de relacionar a realidade ficcional com a que vivemos, no contato com um livro. A atividade de leitura não corresponde a uma simples decodificação de símbolos, mas significa, de fato, interpretar e compreender o que se lê. A Literatura é a ponte para este processo interativo. 

Se os pais e educadores se utilizarem da literatura, para o crescimento cultural e na formação de um cidadão, com certeza, esses jovens não estarão tratando-se em psiquiatrias ou instituições para dependentes químicos, entre tantas outras desgraças acontecidas no dia-a-dia. Um simples gesto transformador pode ser crucial no estágio e educação de um filho. Vejo na literatura, um antídoto para uma sociedade doente como é a nossa. Um remédio natural, e sem contra indicações, que deve ser oferecido à criança com prazer e dedicação. A literatura é indispensável para o desenvolvimento, não apenas da criança, e sim, de uma Nação. 

8. Conte pra gente um pouquinho dos seus planos futuros na área literária. 

R: Meu sonho é abrir uma editora para o Clube dos Novos Autores e levar o CNA para uma Bienal, independente de quantas vezes eu vá, independente do Clube. Não tenho grandes ambições que eu posso dizer hoje – quero algo somente para mim, pois, para mim, o que é de melhor em minha vida, eu já coloco em prática – poder escrever ao menos uma linha de um livro que quero, que escolho o tema, sem que este seja determinado pelo modismo, ou pelo gosto de alguém. Posso dizer, que hoje os meus sonhos, são direcionados aos sonhos alheios – quero e espero ver a ascensão literária no Brasil. 

9. Você está trabalhando em algum novo projeto no momento? Se sim, conte um pouquinho sobre ele. 

R: Sim, estou terminando um livro que ainda não tem nome, mas estamos com uma promoção no blog Cia Do Leitor, com a Nizete, uma fofa, atrás de um título para este livro. Trata-se de um romance que se dá na Espanha, década de 60, durante uma revolução causada pela ditadura franquista, que é apenas um pano de fundo. É um romance sobrenatural, cheio de intrigas e surpresas, que ao formular o resumo do livro, surpreendeu até mesmo a mim. Temos nesta obra, amores proibidos, um triângulo amoroso, conflitos sanguinários e uma maldição. 

Um breve bate-papo: 

Quando escrevo: ouvindo música 
O que me inspira: imagens e fotografias 
No meu tempo livre: escrevo meu livro 
Não saio de casa sem: perfume 
Estou lendo: Volk, Roxane Norris 
Meu livro de cabeceira é: Inscrito no corpo 
Sou fã de: Gisele Galindo 
Não gosto de: mentiras 
Meu maior sonho é: Levar o CNA para a bienal 
Não viveria sem: meu computador 
Estou a procura de: descobrir novos autores talentosos 
Um livro nacional que eu li e gostei: Carmela e Lorenzo 
Meu personagem preferido é: Clarice, O voo da estirpe 
Quer deixar alguma mensagem aos leitores do blog? Não se enganem, só conseguiremos sair do caos literário, se fizermos nossa parte. Ler um autor nacional é fazer parte deste grande processo de mudança. 

Um comentário:

  1. Não conhecia a autora e nem as suas obras, mas fiquei interessada. Ela parece ser simpática.
    Adorei a entrevista, parabéns! ^^

    Beijos
    http://myllokasecret.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir


Olá leitores.
Que bom que gostaram do Post! Quer compartilhar a sua opinião?.

↺Comentários ofensivos, que agridam a mim ou a qualquer outra pessoa ou entidade (autor, seguidor, editora) também será deletado.

↺Agradeço seu comentário! Sua opinião é de extrema importância para o blog e para mim. (Pode ter certeza que, responderei o seu comentário assim que possível.) Volte Sempre!



Importante!! Pessoal, caso encontrem links com defeitos, avisem por comentário ou pelo e-mail: angelicapinheiropereira@gmail.com, para que possamos arruma-los.