segunda-feira, 17 de junho de 2013

Falando Sobre: “Nas favelas, no senado, sujeira pra todo lado”



 “Que país é esse?” A população finalmente se manifestou para dar essa resposta à Renato Russo.




  Eu sei que esse é um blog que fala de livros, séries, filmes e tudo aquilo que usamos (e adoramos) para nos esquecer do mundo que nos cerca, mas às vezes é preciso voltar à vida real um pouco.

  O medo que me dá é de que isso tudo que está acontecendo seja apenas temporário, apenas o entusiasmo de alguns "baderneiros" de fato falando mais alto. É preciso ter fé e acreditar que realmente, todas essas pessoas protestando, acreditam na mudança e num futuro melhor para nosso país. Eu estou, acima de tudo, muito surpresa ao ver tanta gente lutando, fazendo a diferença. Nunca pensei que fosse presenciar algo assim.
  Mas algo dói no meio disso... ver que ainda tem pessoas alienadas que concordam com aquele imbecil do Alckmin quando diz que "Não é direito de expressão, é vandalismo". Eu tenho amigos concordando com essa afirmação, achando que tudo é baderna, fico muito triste. E ao lado, claro, tem sempre aqueles achando que não vai dar em nada... por isso o meu medo, citado no parágrafo acima... porque se todo mundo acha que não dá em nada, não dá mesmo. Deposito minhas esperanças na persistência do povo, na nossa persistência.
  Não existe democracia sem greve e reivindicações. E é claro que no meio de uma galera querendo fazer algo sério sempre tem um ou outro que não pensa antes de cometer alguma infração (seja ela qual for). Mas acreditem, não é por isso, ou por fecharem as ruas, atrapalharem a locomoção dos outros que o ponto central é a bagunça. O ponto central é chamar a atenção. É como aquele bebê que chora descontroladamente (não que bebês tenham controle do choro, rs) . É hora de amamentá-lo! Já pensou todo mundo protestando pacificamente (porque a visão de pacificidade é essa, pelo jeito): "Ah não senhor policial, o que é isso, estamos perturbando a ordem? Desculpe. Aí pessoal, bora pra casa!"

  Como dizem as tags por aí, nas redes sociais: O Gigante Acordou! Estava mais do que na hora! "Por que não protestaram antes por isso, isso e aquilo lá?". NÃO! O correto é dizer "Até que enfim!"
   É hora de ir pra frente. Vamos mostrar que nossa alma não está "armada e apontada para a cara do sossego". Ela está armada, pronta para bater de frente com o governo e fazer o que deveria ter feito há muito tempo: mudar o país.

  Antes tarde do que nunca!

  



  PS: Para saber como ajudar, da forma que puder: https://www.facebook.com/eduarda.graciano/posts/466565933425017

3 comentários:

  1. Colega muito legal teu texto. Eu acredito que toda forma de protesto é válido, desde que não prejudique ninguém, porque todos nós temos direito de reivindicar nossos direitos. A mobilização em torno do aumento da tarifa de ônibus ultrapassou as fronteiras do País e ganhou as ruas de várias cidades do mundo. Viramos notícias no mundo todo. Espero que essas manifestações sirva para alguma coisa e que o governo tome providências e diminua essas tarifas, pois é o que o povo brasileiro busca!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário.
      Estamos todos juntos nessa luta!


      Um beijo!

      Excluir
    2. ∞Querida. Está publicação quem trouxe para o blog foi a linda, e querida colunista Duda. Fico feliz que tenha gostado da postagem! Beijos ;**

      Excluir


Olá leitores.
Que bom que gostaram do Post! Quer compartilhar a sua opinião?.

↺Comentários ofensivos, que agridam a mim ou a qualquer outra pessoa ou entidade (autor, seguidor, editora) também será deletado.

↺Agradeço seu comentário! Sua opinião é de extrema importância para o blog e para mim. (Pode ter certeza que, responderei o seu comentário assim que possível.) Volte Sempre!



Importante!! Pessoal, caso encontrem links com defeitos, avisem por comentário ou pelo e-mail: angelicapinheiropereira@gmail.com, para que possamos arruma-los.