segunda-feira, 7 de julho de 2014

Segunda da Poesia#55


Não tema o trovão

As vozes se calam
Os trovões falam
As brisas choram.

Os raios matam
Rasgando os céus
Os relâmpagos fazem a noite virar dia
O trovão que tanto assusta, mas não faz nada
Apenas um cabum temeroso.

Não tema o trovão
Estarei aqui para segurar sua a mão
Não se desespere e bata o pé
Não se assuste com o trovão.

Pare de se desesperar
O trovão não vai te matar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Olá leitores.
Que bom que gostaram do Post! Quer compartilhar a sua opinião?.

↺Comentários ofensivos, que agridam a mim ou a qualquer outra pessoa ou entidade (autor, seguidor, editora) também será deletado.

↺Agradeço seu comentário! Sua opinião é de extrema importância para o blog e para mim. (Pode ter certeza que, responderei o seu comentário assim que possível.) Volte Sempre!



Importante!! Pessoal, caso encontrem links com defeitos, avisem por comentário ou pelo e-mail: angelicapinheiropereira@gmail.com, para que possamos arruma-los.