terça-feira, 21 de abril de 2015

Crítica sobre: O voo da libélula {Livro}

“Ainda não conseguia acreditar no que estava vendo. Suas mãos tremiam. Um forte calafrio o percorreu, da nuca à base das costas. Tinha conseguido!

A solução estava ali, desde o princípio, à espera, sem pressa: era impossível encontrá-la na época, dezoito anos antes. Todo mundo tinha lido aquele jornal, todo mundo o tinha esmiuçado e analisado mil vezes, mas ninguém poderia ter adivinhado, nem em 1980 nem durante todos os anos que haviam se seguido. A solução saltava aos olhos… com uma condição. Uma única condição, totalmente absurda. Abrir aquele jornal dezoito anos depois!”

Este é o primeiro livro que leio do autor Michel Bussi. O escritor é autor francês e cientista político, professor de geografia da Universidade de Rouen. Ele é especialista em geografia eleitoral. Agraciado com 4 prêmios na França, entre os quais o Prix Maison de la Presse e o Prix du Roman Populaire, O voo da libélula teve seus direitos vendidos para 25 países.

Antes de iniciar, as minhas ressalvas sobre a narrativa, e história, quero dividir alguns pontos sobre a capa, e a diagramação interna do livro. 
Bom, vocês não devem saber, mas sou apaixonada por libélulas. Ela tem um significado importante para mim, tanto que tatuei uma em minhas costas. Tah, mas porque estou dividindo com vocês esse fato. Bom imagino que devem já ter adivinhado que um dos motivos de ter escolhido esse livro dentre os lançamentos da editora foi pelo fato de ter uma libélula na capa, e este trazer o nome dela também. Sim estou confessando que de principio, eu apenas desejei ler o livro por causa dessa libélula e do titulo que chamaram minha atenção. Bom eu já disse em algumas resenhas que gosto quando a capa conversa com o conteúdo do livro, e que quando a editora consegue alcançar este se torna um ponto positivo. Para além destes pontos, eu amei a escolha da capa, deste as imagens, fonte e tons escolhidos para ela. 
E sobre a diagramação interna, a editora mantém seu padrão, fonte times, tamanho doze, folha amarela. A história dá inicio com a data "23 de setembro de 1980, 0h33. E logo após conhecemos a história, dezoito anos depois. Os capítulos são 62, ao total, eles estão todos com subtítulos ou contados como diários, pois a cada novo capitulo há sempre uma data diferente.

Pra quem não leu a sinopse, retomando alguns pontos pra situa-los a história. Aqui ficamos a par das investigações do detetive Crédule Grand Duc (o nome complicadinho este), sobre a queda de um avião, em que a única sobrevivente é uma bebê, da qual eles a chamam de Lylie. Eles a chamam assim por não saber, se ela é Lyse-Rose de Carville ou Émilie Vitral, e Lylie é a junção deste dois nomes. Há duas famílias disputando a criança na justiça, porém o tribunal, decide a vida da criança, esta da qual ainda está muito longe de acabar, poi Grand Duc é contratado por uma das famílias para desvendar novas pistas a respeito do caso. E é a partir deste ponto em que acompanhamos as suas investigações, da qual estão anotadas em seu diário, que é apresentado ao leitor no decorrer da história.

Quando li a sinopse, do livro pensei que estaríamos a par de investigações, pra então descobrir qual bebê que sobreviveu ao trágico acidente, porém conforme avançava na leitura, fui inundada por um suspense que pensei que não estaria ali. Sabe quando você, tem pontos definidos sobre uma história, mas de repente ela vem e aponta o dedo na sua cara e diz algo do tipo "pensou que seria tão fácil assim". Foi o que aconteceu comigo e com O voo da libélula.

O Voo da libélula é um romance policial, mas eu jurava que seria um drama romântico, por isso e também pela ótima narrativa de Bussi que surpreendi-me no decorrer da leitura do livros. Este foi meu primeiro contato com sua escrita/ história. E acreditem comecei bem, pois Bussi conseguiu me conquistar com sua história, carregada de suspense, da qual deixa o leitor com o coração na mão.
O autor intercala a 1° pessoa para contar a investigação escrita no diário e a 3° pessoa para a história contada no decorrer do livro. Os personagens principais da trama são Lylie e Marc. Do qual não consegui me apegar do jeito que não quer mais largar o personagem, mas eles conseguiram me conquistar, mesmo não me deixando apaixonada por eles.
A trama, é cheia de reviravoltas, que nos deixa intrigada, e pensativa. Ah algumas boas, outras nem tanto, algumas mais desenvolvidas, outras que faltou um que em algum momento.
Não achei o final surpreendente, porém o achei cabível a história, que se iniciou lá no começo e teve seu fim dentro do imaginável. Terminei o Voo da Libélula, com uma sensação de dever comprido!

Por fim, para quem gosta de ver a história de um livro que tanto gostou adaptada para as telonas, saibam que O Voo da Libélula ganhará sua adaptação. Ainda não tenho informações de quem comprou os direitos para adaptar o livro para o cinema, mas quando tiver mais noticias dividirei elas com vocês.

Qual minha nota para o livro:


Título: O Voo da Libélula
Autor: Michel Bussi
Páginas: 400
Editora: Arqueiro

Sinopse: O Voo da Libélula - Agraciado com 4 prêmios na França, entre os quais o Prix Maison de la Presse e o Prix du Roman Populaire, O voo da libélula teve seus direitos vendidos para 25 países e ganhará uma adaptação cinematográfica.
Na noite de 23 de dezembro de 1980, um avião cai na fronteira entre a França e a Suíça, deixando apenas uma sobrevivente: uma bebê de 3 meses. Porém, havia duas meninas no voo, e cria-se o embate entre duas famílias, uma rica e uma pobre, pelo reconhecimento da paternidade.
Numa época em que não existiam exames de DNA, o julgamento estende-se por muito tempo, mobilizando todo o país. Seria a menina Lyse-Rose ou Émilie? Mesmo após o veredicto do tribunal, ainda pairam muitas dúvidas sobre o caso, e uma das famílias resolve contratar Crédule Grand-Duc, um detetive particular, para descobrir a verdade.
Dezoito anos depois, destroçado pelo fracasso e no limite entre a loucura e a lucidez, Grand-Duc envia o diário das investigações para a sobrevivente Lylie e decide tirar a própria vida. No momento em que vai puxar o gatilho, o detetive descobre um segredo que muda tudo. Porém, antes que possa revelar a solução do caso, ele é assassinado.
Após ler o diário, Lylie fica transtornada e desaparece, deixando o caderno com seu irmão, que precisará usar toda a sua inteligência para resolver um mistério cheio de camadas e reviravoltas. Em O voo da libélula, o leitor é guiado pela escrita do detetive enquanto acompanha a angustiada busca de uma garota por sua identidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Olá leitores.
Que bom que gostaram do Post! Quer compartilhar a sua opinião?.

↺Comentários ofensivos, que agridam a mim ou a qualquer outra pessoa ou entidade (autor, seguidor, editora) também será deletado.

↺Agradeço seu comentário! Sua opinião é de extrema importância para o blog e para mim. (Pode ter certeza que, responderei o seu comentário assim que possível.) Volte Sempre!



Importante!! Pessoal, caso encontrem links com defeitos, avisem por comentário ou pelo e-mail: angelicapinheiropereira@gmail.com, para que possamos arruma-los.